ZN-FILOSÓFICA

domingo, 27 de março de 2011

Natal, Eternamente

O Natal já existia antes que houvesse data, por isso ele é anterior as imputações relativizadas dos homens, tais como: isso é bom, aquilo é mal, aquilo outro é estranho. Sendo assim, o dia 25 de dezembro é só uma data; isso é inegável. Mas, não comemorar esse evento atemporal, implica em negar a base (Deus), base essa que a tudo e a todos antecede(eternidade); base essa que rege cotidianamente a vida dos que crêem(fé); base que preenche de humanização a solidão existencial dos milhares de desprotegidos por um sistema aviltante(amor); base que resgata passados, consolida presentes, mas, principalmente, projeta futuros(oportunidades). Assim sendo, comemoremos o Natal: hoje, amanhã, eternamente...
Um Feliz Natal, cada um de sua forma, cada qual em seus lugares, todos a seu tempo. (Cacau, outubro 2010)