ZN-FILOSÓFICA

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Salve(m) os Santos Guerreiros


Jorge da Capadócia.



Por: Claudio Fernando Ramos 23/04/2012 Natal-RN

"Jorge sentou praça na cavalaria. E eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia. Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge [...]" (Jorge Ben Jor)

Nunca fui, nem sou devoto de São Jorge; aliás, não sou devoto de santo algum. Mas, na medida em que vivo em um país onde, há séculos, o sincretismo religioso nunca saiu de moda; sinto-me à vontade para render homenagens a miríades e miríades de Santos e de Santas. Faço isso por duas razões específicas: primeiro porque não consegui ser ateu; segundo, essa você já sabe, todo dia é dia de santo!


Salve! Salve! Salve sempre, não importa muito se este ou aquele santo, esta ou aquela entidade religiosa, mas, salve desde sempre a Fé do povo no povo brasileiro!


Eu creio na luta das santas mulheres abandonadas com filhos por aqueles que deveriam ser seus companheiros por toda uma vida. Eu reverencio os santos enfermos, entregues a própria sorte em hospitais públicos nesse país de saúde combalida. Idolatro a perseverança dos santos trabalhadores, que mesmo mal remunerados (salário mínimo) e sem nenhuma expectativa de enxergarem os frutos de seu penoso trabalho, não desistem de lutar com honestidade e galhardia. Oro aos santos “Capitãs da Areia” (romance de Jorge Amado), infância delinquente, que há décadas perambulam pelas ruas das capitais com carência, violência, incertezas e medo no olhar.

 Jejuo aos santos passageiros: trabalhadores, estudantes e transeuntes, que diariamente penduram-se e expremem-se nos exíguos e sucateados transportes público do país. Elegi como padroeira a santa honestidade, santidade desconhecida por uns e abandonada por outros, que vem sendo, sistematicamente, lapidada por intocáveis gatunos que, democraticamente, se entrincheiraram nos esgotos do poder. Sinto não poder falar sobre todos os santos, como eu falei antes: são miríades. Mas eles, na condição de divindades, hão de compreendem as limitações de um reles mortal.


Como podem ver, também sou crente! Mas, a exemplo de Auguste Comte com sua religião Positivista, e de todos os outros líderes religiosos (Papas, Patriarcas, Pastores, Pais de Santos, etc.) em suas respectivas denominações, resolvi eleger as minhas próprias divindades. Em um Estado laico de direito, é legitimo que você não concorde com a santidade dos meus eleitos, mas, de uma coisa você jamais poderá discordar: esses, definitivamente, é que são os únicos e verdadeiros Guerreiros! Salve(m) o(s) Jorge(s), o(s) Pedro(s), a(s) Maria(s) e o(s) João(ões). Salve(m)! Salve(m)!


Dia 23/04/2012 dia de São Jorge. Cacau :¬)