ZN-FILOSÓFICA

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Zeca Pagodinho



Por: Claudio Fernando Ramos 27/11/2013. Cacau “:¬)
1 – O início

“Tente ser uma pessoa de valor, não de sucesso”. (Einstein)
·         Zeca Pagodinho, nome artístico de Jessé Gomes da Silva Filho, (Rio de Janeiro, 4 de fevereiro de 1959).
·         Filho de Iréia e Jessé, Zeca nasceu em Irajá, suburbio do Rio. 
·         Desde pequeno passou a frequentar rodas de samba no Irajá, Del Castilho, Madureira...
·         O início de tudo foi o tradicional bloco Cacique de Ramos; sob o apoio de sua madrinha, Beth Carvalho.
·         Logo ganhou novo sobrenome, inspirado na “Ala do Pagodinho”, do Bloco Boêmios do Irajá.

2- A Vontade
A vontade é o que há de mais essencial no mundo; ela se manifesta em toda a natureza e nos corpos animais, independentemente de serem eles possuidores ou não da faculdade de razão. (Schopenhauer)
·          O artista, que começou sua carreira nas rodas de samba dos bairros subúrbio do Rio de Janeiro: Irajá, Del Castilho, Madureira...
·         No inicio dos anos 80, Pagodinho começa a se estabelecer como um versador de respeito.
·         Em parceria com o flautista e partideiro Cláudio Camunguelo, teve sua primeira música gravada: "Amargura".
·         A faixa entrou no repertório do segundo disco do grupo Fundo de Quintal, fundado em 1977 e originário do Cacique de Ramos.


·         A aproximação com o grupo acabou levando Zeca Pagodinho para perto de Beth Carvalho. Foi ela quem gravou seu primeiro sucesso: “Camarão que Dorme a Onda Leva", que ganhou até clipe no Fantástico.
·         A madrinha ainda gravou "Jiló com Pimenta" (Arlindo Cruz e Zeca).
·         Depois foi a vez de Alcione registrar "Mutirão do Amor" (Zeca, Sombrinha e Jorge Aragão) no LP "Almas e Corações", de 1983.
·          Suas músicas estouraram nas rádios e ganharam as ruas, e não há quem não saiba de cor um dos seus refrãos.
·          Tornou-se tão imensamente popular que seus shows chegam a ser contratados por cachês generosos, sendo realizados nas mais badaladas casas de espetáculo do país.

3 – A Fama
Dinheiro é como água do mar: quanto mais você toma, maior é sua sede. O mesmo se aplica à fama. (Schopenhauer)
·          Sempre fiel a suas características de irreverência e jocosidade, Zeca recebe também reconhecimento da crítica, de artístas, cantores e compositores consagrados.
·          Nei Lopes afirma que o sambista "é uma das poucas unanimidades nacionais, elevado ao patamar do mega-estrelato pop pelas gravadoras".
·          Em 2003, no auge de sua carreira, foi o primeiro artista de Samba a gravar um especial de TV, CD e DVD pela MTV Brasil (tradicional reduto do pop rock).
·          O Acústico MTV, gravado no Rio, foi um de seus discos mais vendidos, rendendo inclusive uma segunda edição em 2006 (a primeira da história da MTV Brasil).
·          O segundo acústico, batizado de Acústico MTV Zeca Pagodinho 2 - Gafieira, homenageou o samba de gafieira.


·          Os números respondem pelo sucesso: “Vida da Minha Vida”, seu disco mais recente, ficou entre os cinco mais vendidos do ano de 2010.
·          Além disso, coleciona 2 discos de diamante, 18 discos de ouro, 13 discos de platina e 6 discos de platina dupla.
·          Gravou mais de 20 discos e é considerado um grande nome do gênero samba e pagode e partido alto.
·          Em 2007, o cantor criou o selo ZecaPagodiscos, em parceria com o produtor musical Max Pierre, ex-diretor artístico da Universal Music no Brasil.

4 – O homem
As dificuldades são o aço estrutural que entra na construção do caráter.

·         A paixão por Xerém é antiga. Foi o lugar que Zeca escolheu para viver ainda em 1991.
·         O sítio se transformou em um espaço para fazer o que mais gosta: reunir os amigos, compor sambas, estar em contato com a natureza.
·         E em 1998, tornou-se a sede da escola de música para crianças. “Música é tudo. Quem tem música, tem boa cabeça”, afirma.


·         Durante uma entrevista recente, Zeca questiona sua imagem de artista, mostrando muita simplicidade, considerando-se uma pessoa 'normal' que bebe cerveja e pega ônibus.
·         A vida me levou para esse lado. Não me fiz artista, a vida me fez artista, se é que posso ser considerado artista". 
·         Zeca Pagodinho também comentou a respeito da internet e redes sociais, dizendo desconhecer a funcionalidade dos mesmos: "Não tenho nem idéia do que é isso. Agora é tanta coisa, é Orkut, é Facebook, que aporrinhação, meu Deus... Poderia ser uma coisa só!".
·         Finalizando a entrevista, quando questionado como se vê nos próximos 30 anos, Zeca cita a Velha Guarda da Portela e completa : "Quero continuar tomando um belezol (gíria para cerveja). Se eu ficar bacana, está tudo bem" - finaliza seguido de aplausos. 


5 – Fontes


http://www.musicaparamusica.com.br/post/zeca-pagodinho-mostra-simplicidade-em-coletiva/506