ZN-FILOSÓFICA

sexta-feira, 9 de maio de 2014

OS PARASITÁRIOS DEMÔNIOS DA DEMOCRACIA BRASILEIRA






Por: Claudio Fernando Ramos, 09/05/2014. Cacau “:¬)

 
Veja se dá para adivinhar: eles irão propor alguma outra grande figura para ocupar o executivo e o legislativo do nosso Estado ou, o que não é menos pior, eles proporão a si mesmos para essa “árdua”, “ingrata” e “penosa” tarefa?



Seja qual for a ação por eles deflagrada, uma coisa é certa: eles vencem sempre, mesmo quando perdem!


Esse polvo possui inúmeros e poderosos tentáculos!


Talvez, um dia, quem sabe, possamos cortar-lhe as ventosas, mas para isso precisaremos bem mais do que dores, abandonos, deboches, sarcasmos, descasos, revoltas... Tudo isso nós já possuímos em abundância!


Alguém falou que um homem, na condição de escravo, por um longuíssimo período de tempo, utilizando uma navalha, fez, caprichosamente, a barba do seu senhor. Por que, uma vez que nunca fora tratado com a dignidade que lhe era devida, jamais tentou cortar a garganta do seu algoz?


Eu respondo, pelas mesmas razões que nós nunca tentamos, de verdade, demover essa corja de parasitas, famílias inteiras, que décadas após décadas fazem conosco, o mesmo que os senhores faziam com os seus serviçais no passado; o mesmo que ACM e os seus fizeram e fazem com os baianos; o mesmo que Sarney e os seus fazem com os maranhenses; e por aí vai...


As razões que fomentam a revoltante paralisia subserviente do escravo barbeiro são, certamente, as mesmas que as nossas.


Passada a fantasia do espetáculo futebolístico em nosso país, uma dura realidade está guardada para essa nação: Eleições 2014.


Será uma outra competição,um verdadeiro jogo com cartas marcadas!


O “Demo” do termo democracia, que para os gregos significava povo (Cidadão), para nós brasileiros, em todos os rincões desse país, há muito que perdeu o seu original significado.


Sem querer fazer troça, a verdade é que o “Demo” da nossa democracia não nos remete ao povo e suas necessidades, mas aos Demônios e suas vaidades.  Cacau “:¬)