ZN-FILOSÓFICA

domingo, 8 de março de 2015

DIA INTERNACIONAL DA MULHER: DIA DE TODOS NÓS

Por: Claudio Fernando Ramos, 08/03/2015. Cacau “:¬)
A mulher moderna na sua plenitude. Cacau ":¬)
O feminismo apoia-se, como forma de justificação de sua existência, no machismo; enquanto este, o machismo, também carente de justificação e origem, apoia-se na herança cultural.
Essas justificativas mais parecem árvore genealógica.
O movimento feminista é “filho” do machismo, este, por sua vez, é “filho” da herança cultural; assim sendo, não fica muito difícil descobrir quem é a “bisavó” do feminismo: a sempre presente, mas incompetente ignorância.
Diferença, seja ela qual for, não é nem nunca foi, ao menos na essência, sinônimo de desigualdade!
Diferença não significa desigualdade! Cacau ":¬)
Homens e mulheres devem poder as mesmas coisas, no plano social; mas, tão importante quanto poder algo mais, esses mesmos homens e mulheres devem querer escolher ou não esse algo mais!
As restrições machistas são, definitivamente, tão tolas quanto às imposições feministas!
Segundo Aristóteles, a virtude reside no justo meio; daí a conhecida concepção de que todo extremo é perigoso.
Hoje (dia internacional da mulher) temos, nós homens, assumidos machistas ou não, mais uma oportunidade de ajudar a sociedade a superar, pela força do bom senso (antítese da ignorância), essas famigeradas restrições culturais que recaem indignamente sobre as mulheres.
Associado e isso, elas, nossas mães, irmãs, companheiras e amigas, devem e podem nos ajudar a deixar para trás essa herança cultural tão marcada pela ignorância.
Ganha a sociedade quando a ignorância perde!Cacau ":¬)
Juntos, sem machismos ou feminismos, descobriremos que fica bem mais fácil entender que nas diferenças entre os gêneros o ataque, ao diferente, sempre foi a pior defesa; posto que a diferença sempre distingue, mas nunca inferioriza. Cacau “:¬)