ZN-FILOSÓFICA

sábado, 15 de fevereiro de 2014

DO DEMIURGO DE PLATÃO AO FILME MATRIX




“Segundo Platão, no princípio do Universo havia a matéria caótica e disforme. Havia também as ideias, que são perfeitas. Havia o espaço e havia o Demiurgo (Deus).


O Demiurgo, entristecido com a desordem, resolve copiar as ideias na matéria. Desse modo, Ele gera os objetos que formam a nossa Realidade.

Assim e para sempre, os objetos imperfeitos (constituídos da matéria e de cópias das idéias) ficam separados das perfeitas ideias.

Podemos inferir, desse modelo platônico, que as cópias das perfeitas ideias estão incrustadas em nós. Com o tempo, nós nos lembramos das ideias! E a descoberta de algo novo é apenas o relembrar do que já se sabia a priori.”



Difícil de entender? Assista a famosa trilogia: Matrix. Esse filme lhe servirá de base para compreender o Demiurgo de Platão. Cacau “:¬)