ZN-FILOSÓFICA

domingo, 16 de março de 2014

Sociologia Clássica



Karl Marx: Mais-valia, Materialismo Histórico,Ideologia, Infraestrutur


 Sua obra “O Capital” é considerada sua obra-prima, centro  de  seu  pensamento.  Marx  teve  como  objetivo analisar  o  funcionamento  do  capitalismo  e  prever  sua evolução.  Contudo,  seu  esforço  foi  concentrado  para demonstrar  cientificamente  a  evolução  do  regime capitalista, inevitável, segundo sua opinião.

Enquanto  o  positivismo  se  preocupa  com  a manutenção da ordem capitalista, o marxismo elabora uma crítica  radical  ao  capitalismo,  evidenciando  seus antagonismos e suas contradições.

Relações Sociais de Produção: constituem a base de  toda  estrutura  social.  São  elas  que  definem  os  dois grupos  da  sociedade  capitalista:  de  um  lado  os trabalhadores, aqueles que nada possuem além do corpo e da  disposição  para  o  trabalho,  também  chamados  de proletários  ou  operários;  do  outro,  os  capitalistas,  que possuem  os  meios  de  produção  necessários  para transformar a natureza e produzir mercadorias.

Mais-valia: o capitalista paga um salário ao trabalhador e, no final da produção, fica com o lucro, valor a mais que não retorna  ao  operário,  incorpora-se  na  mercadoria  e  é apropriado pelo capitalista. Esse valor excedente produzido pelo operário é a Mais Valia. A  história da humanidade é, para Marx, a história da  luta de  classes, da  luta constante entre  interesses que  se opõem, embora esse  conflito nem sempre se manifeste de forma clara.

Materialismo Histórico: as relações materiais que os homens estabelecem, o modo como produzem seus meios de  vida  formam  a  base  de  todas  as  suas  relações.  Mas esse  modo  de  produção  não  corresponde  à  mera reprodução  da  existência  física  dos  indivíduos.  A  forma como  os  indivíduos  manifestam  sua  vida  reflete  muito exatamente aquilo que são. O que são coincide, portanto, com a sua produção, isto é, tanto com aquilo que produzem como com a forma como produzem.

Ao adquirirem novas  forças produtivas, os homens mudam seu modo de produção e com o modo de produção mudam as relações econômicas, que não eram mais que as relações necessárias daquele modo concreto de produção.

Ideologia: segundo o materialismo dialético marxista, as idéias  devem  ser  compreendidas  no  contexto  histórico vivido  pela  comunidade.  No  entanto,  Marx  vai  além, mostrando  que  muitas  vezes  esse  conhecimento  aparece de  maneira  distorcida,  como  ideologia,  ou  seja,  como conhecimento  ilusório  que  tem  por  finalidade mascarar  os conflitos  sociais  e  garantir  a  dominação  de  uma  classe sobre outra, quando se vive em uma sociedade dividida em classes, com interesses antagônicos.

Para  Marx,  as  concepções  filosóficas,  éticas, políticas, estéticas,  religiosas da burguesia  são estendidas para  o  proletariado,  perpetuando  os  valores  a  elas subjacentes  como  verdades  universais.  E  desse  modo, impedem que a classe submetida desenvolva uma visão do mundo mais universal e lute por sua autonomia.

Produção e Reprodução: Um  primeiro  pressuposto de  toda  existência  humana  e,  portanto,  de  toda  história,  é que os homens devem estar em condições de poder viver a fim de fazer a história. Mas, para viver, é necessário, antes de tudo, beber, comer, ter um teto onde se abrigar, vestir-se etc. O processo de produção e reprodução da vida através do  trabalho  é,  para  Marx,  a  principal  atividade  humana, aquela que constitui sua história social; é o  fundamento do materialismo  histórico,  o  método  de  análise  da  vida econômica, social política e intelectual.

Infraestrutura e Superestrutura:  A  infraestrutura é o conjunto de  forças produtivas e das relações sociais de produção. É a base  sobre a qual se constituem as demais instituições sociais. Já as ideologias políticas, as concepções  religiosas,  os  códigos  morais  e  estéticos,  os sistemas  legais,  de  ensino,  de  comunicação,  o conhecimento  filosófico  e  científico,  as  representações coletivas etc, constituem a superestrutura.